Padre americano descobre para onde migrou a Terra Santa

Testemunho do padre Philip Pavich – Estados Unidos

Se ele tem vontade, venha para ajudar a espalhar a mensagem de Deus!

De ascendência croata, Philip Pavich, OFM, é um sacerdote americano associado com a paróquia de São Tiago. Ele celebra a missa em inglês e tem agido como a ligação aos peregrinos de língua inglesa. Nesta entrevista, ele descreve como ele deixou a Terra Santa em 1987 para servir em Medjugorje.

Fr. Philip, você acredita que a Mãe de Deus está aparecendo aqui?
R: Sim, com certeza acredito.

Como você chegou a acreditar nisto?
R: Quando primeiro ouvi das aparições da Mãe Bendita em Medjugorje, uma coisa que me chamou a atenção foi a data da primeira aparição: 24 de junho de 1981. A festa de São João Batista, que foi o dia da minha ordenação.

Por que isso é tão significante?
R: Primeiro, fui ordenado naquele dia em 1957, logo São João foi meu patrono de sacerdócio e eu o tenho amado muito. Muitas vezes, durante meus onze anos na Terra Santa, eu levava peregrinos a Ein Kerem (um subúrbio da Jerusalém moderna), onde João nasceu e passava horas explicando sobre ele. Eu cheguei a vê-lo como o revelador de Jesus Cristo, porque ele disse estas palavras muito significantes, registradas em todos os quatro evangelhos: “Eis o Cordeiro de Deus que batizará em fogo e no Espírito Santo”. Desde que todo padre deveria ser um revelador de Jesus, estou feliz de te-lo como patrono.
Depois havia a maneira na qual a Mãe Bendita aparecia. Foi como um gesto de São João Batista: ELA estava segurando um bebê em Seus braços, revelando-O, como se fosse, para os videntes , e ao mesmo tempo os convidando a vir a ELE. Eu pensei que a Mãe Bendita tinha escolhido deliberadamente aquele dia para vir com a mensagem de paz, fé, conversão, oração e jejum no espírito de São João Batista. Não poderia ter sido apenas uma coincidência. Então pensei: Aquelas crianças não poderiam inventar uma coisa tão profunda e fiquei convencido que tinha de ser verdade.

Assim, foi a apreciação bíblica do papel de João e a maneira das ações da Mãe Bendita que te convenceu?
R: Muito mesmo. E houve mais outras coisas.

O que mais?
R: Eu também guiava muitos grupos ao Monte Tabor, onde Jesus foi transfigurado. Lá, onde Moisés e Elias apareceram conversando com Jesus, eu vi que o grande legislador, profeta e sacerdote foram também reveladores de Jesus. Eles eram as Suas testemunhas do Velho Testamento, tal como Pedro João e Tiago foram testemunhas do Novo Testamento. Mas Elias cujo nome em hebreu significa “Meu Deus é o Senhor”, era a ligação para João Batista. Ele também serviu como um grande revelador do Deus Vivo no seu famoso desafio aos falsos profetas de Baal no Monte Carmelo. Os israelitas estavam confusos e não conheciam mais quem era o Verdadeiro Deus – muito como as pessoas de hoje. Assim Elias, pelo seu sacrifício “aceitável a Deus”, revelou o Verdadeiro Deus e ganhou um povo agora faminto para servi-LO, exclamando: “O Senhor é Deus! O Senhor é Deus!”

Como ele está ligado a João Batista?
R: Quando eles, desceram da montanha, Pedro , Tiago e João estavam perplexos em terem visto Elias, pois no fim do Velho Testamento, Malaquias profetiza que Elias será enviado “antes da vinda do grande e terrível Dia do Senhor”. Sabendo que os judeus sempre esperaram Elias proceder a vinda do Messias, eles perguntaram, com efeito: “Como já está aqui, Jesus, e Elias não veio, quando ele era para vir?” Então Jesus liga-o a João Batista e diz, “Elias está realmente vindo, e ele restaurará tudo. Eu vos asseguro, todavia, que Elias já veio, mas eles não o reconheceram, e eles fizeram o que quiseram com ele. O Filho do Homem sofrerá em sua mãos da mesma maneira. Os discípulos compreenderam então que ELE estava falando sobre João Batista para eles”.

E a ligação com a Mãe Bendita?
R: Tal como Jesus mostrou a Seus discípulos como João Batista foi o “restaurador” e “revelador” DELE, a Mãe Bendita vem para restaurar a Igreja, para ganhar um povo faminto para servir Seu Filho – para abandonar-se totalmente, como ELA tão freqüentemente diz.

Como você chegou à Medjugorje?
R: Bem brevemente, comecei a rezar fervorosamente em meu telhado, olhando de cima o Mar da Galiléia. Comecei perguntando a Jesus, “Senhor, o que estou fazendo aqui? Tu eras o pastor aqui. Esta era Tua paróquia onde o povo estava Te seguindo ao redor do lago de lado a outro. Mas parece que dificilmente alguém está mais Te procurando aqui. Onde eles estão?” E foi como se uma resposta chegasse a mim: “Eles estão indo para Medjugorje”.

E isto foi quando você começou a querer ir à Medjugorje também?
R: Correto. Fui a um retiro de seis mil sacerdotes em Roma durante outubro de 1984. Um franciscano irlandês, Fr. Desmond O´Malley de Galaway, estava indo de lá para Medjugorje com cerca de 150 padres. Senti-me tão atraído para ir à Medjugorje – mas pensava que a Mãe Bendita tinha me chamado para a Terra Santa. Assim pedi ao Fr. Desmond para perguntar, se possível, através de um vidente , se a Mãe Bendita me queria para ir e servir em Medjugorje, desde que sou nascido americano, já um franciscano de pais croatas imigrantes.

Ele foi capaz de perguntar a um dos videntes por você?
R: Sim, incrivelmente ele perguntou. Através do Ivan, eu tive uma resposta que Fr. Desmond me enviou alguns meses depois. Estava em um inglês ruim, mas falou ao meu coração: “Se ele tem vontade, venha para ajudar a espalhar a mensagem de Deus!

Assim é como você se transferiu para Medjugorje?
R: Sim. Rezei muito e finalmente a Mãe Bendita abriu todas as portas. Deram-me a permissão para servir em Mejugorje. Eu juntei-me mesmo à Província Franciscana aqui, assim poderia permanecer para sempre, Deus queira.

Você às vezes sente saudades da Terra Santa?
R: Realmente não, porque é como eu ainda estivesse na Terra Santa. Sinto com se apenas tivesse sido chamado da Terra santa para outra terra santa. Para mim, Medjugorje tem um significado maravilhoso e místico e é a própria “geografia da terra santa”. O nome Medjugorje significa “entre montanhas” – estamos rodeados de montanhas por todos os lados. A Mãe Bendita pela Sua aparição deu um significado novo e místico, como se fosse: “a igreja entre as montanhas”. A igreja de São Tiago é simbólica do Corpo de Cristo. Através da obra do Espírito Santo, e com Maria como nossa Mãe, a igreja tira sua vida, e provem das “montanhas” da Aparição e da Cruz. Para mim, estas montanhas simbolizam a obra do Pai e do Filho – a verdadeira terra santa.

E elas são as principais metas dos peregrinos.
R: Muito. Os peregrinos sempre vão à Montanha da Aparição, que é como um convite para aceitar o grande dom do Pai, que amou tanto o mundo que deu Seu Filho, como o foi, para a mulher. E na plenitude dos tempos, ela nos amou tanto que deu seu Filho ao mundo. Aqui vejo os mistérios gozosos e a “obra do Pai”. Depois eles sobem à Montanha da Cruz. A cruz é o símbolo central de Medjugorje. Construída pelos paroquianos em 1933, mostra a obra de Jesus redimindo a raça humana e derrotando satanás, e atraindo todos nós para ELE MESMO e para sua Mãe para tornar-se nossa Mãe, para que sendo nascidos DELA, pudéssemos ser o Corpo de Sua Esposa. Assim, os mistérios dolorosos e a “obra do Filho”. Então a igreja de São Tiago, simbolizando a “obra do Espírito”, onde continuamos a ser geridos por Maria no Corpo de Cristo, Seu Filho, e assim para o “resto de Sua descendência”. Logo os mistérios gloriosos e a “obra do Espírito”. Maria é a companheira plena de Deus, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, e presente em todos os três lugares. Desta forma, para mim, Medjugorje é realmente uma terra mística e santa, onde misericórdias e graças estão fluindo abundantemente, ligando-nos ao Deus Santíssimo, Uno e Trino, e à Maria, a Mãe de Deus.

Você certamente parece estar respondendo ao seu convite.
R: Sim, Pro ouvir muitas horas de confissões, aconselhamento e pregação. Tenho diariamente oportunidades de viver Seu convite para “espalhar a mensagem de Deus”. Estou agradecido que ELA primeiro me chamou à Terra Santa para me preparar, assim eu pude dar ensinamentos enraizados na Bíblia, que é a mensagem de amor de Deus para o povo. E agora fazer isto com peregrinos nesta nova terra santa é minha alegria e honra. No Velho Testamento, os peregrinos erma mandados a “subir ao Senhor” – minha prece e minha esperança é que através das aparições da Mãe Bendita, todas as pessoas, sem exceção, aceitarão o chamado para “subir ao Senhor” para a Vida Eterna!

Traduzido por José Aguiar

Fonte: Livro “Queen of the Cosmos” de Jan Connel, Capitulo 7. Paraclete Press. ISBN 978-1-55725-407-8.

Comentários Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *