Um protestante vê a Virgem

mariaemmedjugorje
Apesar de ter recebido o batismo protestante, Barry não acreditava em Deus e, com soberba, dispensava a sua existência. Entretanto, uma velha lembrança jazia no fundo do seu coração. Quando jovem, no meio de um grande sofrimento, ele dirigira uma oração a Deus: “Mande-me uma boa esposa!” Naquele momento ele estava de carro e, por uma razão técnica, teve de parar perto de uma casa que não conhecia. A jovem que saiu da casa o fulminou a tal ponto que, três meses depois, casou-se com ela. Ele esqueceu de agradecer a esse Deus desconhecido que tão depressa o havia agraciado com um casamento tão feliz. Só havia um defeito: Barry tudo fez para destruir sua fé mas logo entendeu que estava pisando num terreno perigoso.
Ao chegar aos quarenta anos, porém, Patrícia sentia-se solapada por um duro isolamento espiritual no seio de uma Inglaterra materialista e sem entusiasmo. Foi então que Medjugorje a salvou de ficar a deriva e ofereceu-lhe aquilo que ela não ousava mais sonhar: ergulhar no coração de Deus, num lugar onde o céu encontra-se com a terra a cada dia!

Conversando com ela, eu ficava maravilhada com a sua incrível confiança na Providência. Ela SABIA que, na hora marcada por Deus, todos os seus parentes se converteriam. Foi nessa época que a guerra estourou na Bósnia-Herzegovina.

Na noite de primeiro de janeiro de 1993, Barry e Patrícia estão assistindo televisão e ouvem o apelo lançado pela associação “Medjugorje chama”, solicita-se trinta motoristas para um comboio levando toneladas de mercadorias à Bósnia. Sem saber que Patrícia conhecia Bernard Ellis, um judeu convertido em Medjugorje e homem-chave daquela organização, Barry gosta da idéia e declara a sua mulher que está com vontade de entrar nessa aventura, já que, além de tudo, ele tem a carteira de motorista para dirigir caminhão pesado. Patrícia não acredita no que está ouvindo ! Bernard tinha previsto que uma parte dos caminhões iria a Medjugorje, outra a Zagreb.

Duas semanas mais tarde, na companhia de Patrícia, nosso protestante faz sua entrada em Medjugorje no volante de um caminhão. Sua única preocupação: socorrer os refugiados. Logo na primeira noite já o requisitam e, de manhã, quando volta para seu quarto ao pé do Krizevac, sua mulher já saiu. Barry sai no terraço e de lá avista a Igreja, localizada no vale. Põe os olhos nas duas torres que se lançam para o céu e, curiosamente, sente uma atração irresistível pela Igreja. Um pensamento se lhe impõe: “Devo entrar nessa igreja e fazer uma oração”. Barry não se reconhece. Fazer uma oração, ele, o ateu de plantão ? Mas a atração é mais forte e Barry sai caminhando com um passo firme em direção a Igreja.

Chegando na Igreja, ele constata que está na hora da faxina e instala-se discretamente num banco do fundo. Opta por dizer o Pai Nosso e a Ave-Maria e permanece ali em silêncio por cinco minutos. Depois, decide limpar seu caminhão. Mais tarde, ele volta a seu quarto de onde Patrícia continua ausente e resolve repousar um pouco. Como a luminosidade é intensa, puxa o cobertor para cobrir seu rosto. Mas uma luz azulada o cega. Ele pensa que o cobertor está mal colocado e o rearruma. Mas a luz azul aumenta, invade o quarto todo e Barry começa a achar isso estranho. Uma mancha branca ainda mais luminosa aparece então dentro do azul: a mancha vai aproximando-se dele aos poucos e cresce a olhos vistos.

“A mancha de luz branca torna-se então completamente nítida, conta Barry mais tarde, e era ela, Maria, Mãe de Deus, eu a via, eu sabia que era ela. A luz azul foi se transformando em raios que jorravam dela. Como era bela!”

“Maria empreendeu levar de volta a Seu Filho toda a nossa parentela. Nossos dois filhos converteram-se assim como vários parentes ateus.

De minha parte estou engajado numa equipe que ajuda aqueles que pensam em se tornarem católicos.Estou disponível para o que o Senhor e Sua Mãe quiserem de mim e, aos poucos, estou crescendo no seu amor.

Meu sonho ? Que o Mundo todo descubra a Virgem Maria !”

(retirado do livro Medjugorje anos 90 – Editora Loyola – ano 2000)

Comentários Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *